Notícias

Limpeza em condomínio: tudo o que você precisa saber.

13/03/2018

Fonte: Blog Serviços


A gestão de um condomínio inclui muitas responsabilidades, como administrar as finanças, realizar reuniões e assembleias com os moradores, garantir que todos cumpram as regras do condomínio e manter a limpeza do lugar em dia. A falta de uma rotina de limpeza bem planejada pode resultar em reclamações dos condôminos, além de contribuir negativamente para a imagem do residencial.

A limpeza adequada das áreas comuns garante a higiene, a conservação e a boa aparência do condomínio. Manter todos os espaços sempre limpos e agradáveis não é uma tarefa fácil, principalmente em grandes condomínios, em que a circulação de pessoas, entre moradores e visitantes, é frequente. Muitas vezes, o síndico precisa recorrer a serviços especializados para alcançar esses resultados.

Portarias, elevadores, jardins, piscinas, playground: todos esses espaços costumam fazer parte das áreas comuns dos condomínios residenciais e precisam estar sempre limpos e apresentáveis, proporcionando segurança e bem-estar para os moradores e também seus visitantes. Neste e-book, temos como objetivo ajudá-lo a conhecer melhor as informações necessárias para garantir a limpeza do condomínio.

1 – As responsabilidades do síndico

Assumir a posição de síndico do condomínio envolve muitas tarefas e responsabilidades de grande importância. Em algumas ocasiões, o síndico é um profissional contratado, contudo o mais comum é que um dos moradores ocupe o cargo por meio de uma votação entre os condôminos. Fazer com que as regras do residencial sejam cumpridas e que todos possam conviver de forma harmônica é o principal trabalho do síndico, que também é responsável pela cobrança de inadimplências, documentação do condomínio, admissão e demissão de funcionários, convocação de assembleias e muito mais. Também faz parte das tarefas dele contratar as empresas que prestarão serviços, como segurança, manutenção, reformas e limpeza. O profissional deve fiscalizar todos os serviços para garantir que o trabalho está sendo bem feito, além de cuidar da apresentação de contas para que os moradores saibam que o dinheiro está sendo bem empregado.

2 – As áreas que precisam ser cuidadas

O planejamento da limpeza e a conservação das áreas comuns devem incluir todos os locais que são frequentados pelos condôminos, porém cada espaço demanda sua própria rotina de limpeza para oferecer um aspecto sempre agradável e mais segurança para os moradores.

2.1 – Hall social e de serviços

O hall de entrada é, sem dúvidas, um dos locais com mais circulação de pessoas. Entrada e saída de moradores, identificação e recepção de visitantes e, em alguns casos, sala de espera, praticamente todas as pessoas que têm acesso ao condomínio passam por ele.

Por esse motivo, a limpeza do piso precisa de uma atenção especial e deve ser feita com frequência. Tapetes e capachos nas entradas podem contribuir para a conservação do hall, mas eles contêm a poeira vinda da rua. O mesmo é válido para o hall de serviços. O balcão da recepção também deve ser higienizado e, caso o hall social possua um lounge, ele deve estar sempre impecável para transmitir organização e conforto para todas as pessoas que chegam ao condomínio.

2.2 – Escadarias e elevador

Os elevadores, além da manutenção periódica, precisam ser limpos com frequência. Afinal, os condôminos os utilizam todos os dias. Lembrando que espelhos, vidros e superfícies de inox devem ser higienizados com produtos apropriados para evitarem manchas e outros danos.

As escadarias, embora sejam usadas com menos frequência que os elevadores na maioria dos prédios, também precisam estar sempre limpos e sem nenhum tipo de obstrução, evitando acidentes ou situações perigosas em uma emergência.

2.3 – Academia

Muitos moradores aproveitam a academia do condomínio para praticar exercícios e se manter em forma.

Contudo, ninguém gosta de se exercitar em aparelhos sujos, empoeirados ou enferrujados, não é mesmo? A manutenção e a limpeza adequadas dos aparelhos do espaço fitness não só melhoram a aparência dos equipamentos, como também prolongam a vida útil deles.

2.4 – Piscina e sauna

No inverno, as piscinas externas normalmente são esvaziadas e cobertas com lonas. Antes de enchê-las novamente, o ideal é que os azulejos sejam esfregados e limpos para remover quaisquer resíduos. Nas estações quentes, quando são utilizadas com frequência, é preciso realizar a limpeza dos filtros e garantir o nível apropriado de cloro na água para mantê-la limpa. Já as saunas precisam de limpeza frequente e regular para evitar o aparecimento de fungos e acúmulo de bactérias. Tanto o chão quanto as paredes e os bancos devem ser higienizados regularmente.

2.5 – Salão de festas

O salão de festas, normalmente, é de uso coletivo entre os condôminos, que devem reservar o espaço com antecedência para a realização de aniversários, jantares e outros tipos de celebração. O ideal é que a limpeza do salão seja realizada antes e depois dos eventos.

2.6 – Banheiros comunitários

É recomendado que os banheiros localizados perto das piscinas e em outras áreas comuns do condomínio sejam limpos com frequência, com atenção especial para os vasos sanitários, que devem ser higienizados com álcool e água sanitária. Dessa forma, evita-se o surgimento de fungos.

2.7 – Jardins

Os jardins do condomínio devem estar sempre limpos e livres de lixo. Manter a grama aparada também é essencial, pois o mato alto pode esconder animais peçonhentos, o que coloca em risco a segurança dos moradores. Além da manutenção frequente dos jardins, é importante disponibilizar latas de lixo nesses espaços, evitando que as pessoas joguem a sujeira no chão.

3 – E o lixo?

É preciso criar uma rotina específica de recolhimento e destinação dos resíduos produzidos pelos condôminos. Lixo acumulado, além do mau odor, pode atrair moscas, baratas, ratos e outras pragas que transmitem doenças; portanto, o descarte correto dos resíduos é uma questão de higiene, saúde e segurança. Em primeiro lugar, o síndico deve se informar sobre os dias e horários das coletas de lixo no bairro, informação que pode ser obtida na prefeitura. Se o lixo for descartado no momento errado, as lixeiras ficarão cheias e poderão provocar todos os problemas já citados e a prefeitura poderá multar o condomínio. É necessário possuir um local pré-determinado para o descarte do lixo e que seja asseado diariamente para evitar o aparecimento de pragas. Os moradores devem ser informados sobre a necessidade de separar o orgânico do reciclável e descartá-los nas lixeiras corretas. O síndico também deve informar os moradores sobre o horário limite para o descarte, evitando que ele seja colocado nas lixeiras depois que o caminhão de coleta de resíduos da prefeitura já tiver passado. A ausência de regras pode resultar em desavenças e conflitos entre os moradores e a administração. Assim, é importante que tudo seja esclarecido nas assembleias e divulgado por avisos escritos.

4 – Rotina de higienização

É indispensável que o condomínio desenvolva uma rotina de higienização de acordo com a demanda, a disponibilidade da equipe de funcionários e a necessidade de execução de cada serviço. No cronograma das tarefas a serem executadas, os serviços de limpeza e manutenção podem ser divididos de acordo com a frequência em que devem ser realizados.

Confira alguns exemplos:

4.1 – Diariamente

A limpeza diária deve ser voltada para as áreas que são mais utilizadas pelos moradores, como o hall de entrada, os elevadores e as escadas, que devem ter os pisos e superfícies sempre limpas. Os equipamentos da portaria (interfones, monitores e telefones) também entram na lista, assim como os objetos de decoração dessas áreas comuns (espelhos, quadros, vasos), para evitar o acúmulo de poeira.

Por questões de higiene, banheiros, saunas, vestiários e academias também devem ser visitados pela equipe de limpeza todos os dias.

4.2 – Semanalmente

Entre os locais que devem ser limpos semanalmente, podemos citar as quadras esportivas, os salões de jogos e de festas, a área da churrasqueira, o playground e a brinquedoteca. As áreas comuns dos andares, como escadas e corredores (e seus respectivos móveis e itens de decoração) devem passar por uma limpeza semanal. Essa também é a frequência indicada para a limpeza de piscinas, aparelhos de ar-condicionado, ventiladores, exaustores e higienização dos bebedouros.

4.3 – Quinzenalmente

A cada duas semanas, os pisos internos devem ser encerados e os pisos externos lavados com hidro ateadora, eliminando qualquer acúmulo de poeira.

Também entram no cronograma as janelas, as portas e todos os vidros da portaria e das áreas comuns, sem deixar de lado as maçanetas e a parte interna das esquadrias metálicas.

4.4 – Mensalmente

Uma vez por mês, o trabalho mais pesado deve ser realizado, como a lavagem da garagem e das escadas de emergência. Grades e portões também devem ser devidamente limpos e as cortinas, persianas ou venezianas das áreas comuns devem ser lavadas.

4.5 – Semestralmente

Duas vezes por ano, é importante realizar a limpeza de locais mais difíceis, como estruturas, tubulações e demais superfícies altas. É o momento de agendar a inspeção e limpeza dos reservatórios de água. Em todos esses momentos, é preciso que o síndico e demais responsáveis realizem a inspeção de cada um dos serviços, checando todos os ambientes para garantir que tudo está de acordo com o planejamento ou se há a necessidade de fazer alguma alteração na rotina de limpeza do condomínio.

5 – Motivos para terceirizar a limpeza do condomínio

Além de todos os desafios que a limpeza em condomínio pode oferecer, o síndico pode encontrar dificuldades em formar uma equipe de profissionais para a realização dos serviços. Afinal, é necessário realizar o treinamento de cada um deles, além de providenciar equipamentos, produtos de limpeza e todos os outros materiais necessários para manter a higiene e a organização do condomínio. Tudo isso acaba exigindo muito tempo e energia do síndico, que também precisa lidar com outras responsabilidades, além de significar diversos gastos para o condomínio. Por isso, confira a seguir algumas das vantagens oferecidas pela terceirização de serviços de limpeza:

- Mão-de-obra: a terceirização dos serviços de limpeza oferece mão de obra bem treinada e preparada para a realização de cada tarefa, além de inspecionar de perto o serviço dos colaboradores, o que pode ser de grande ajuda para o síndico. Além disso, o pagamento de salários, benefícios e encargos sociais são de responsabilidade exclusiva da empresa terceirizada.

- Equipamentos: equipamentos adequados permitem que os serviços de limpeza sejam realizados com mais rapidez e eficiência, além de evitarem o desperdício de água e energia elétrica. As empresas terceirizadas fornecem os equipamentos necessários para a realização de cada serviço, além de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos os funcionários.

- Materiais: é preciso observar alguns certos cuidados com os materiais utilizados nos serviços de limpeza, pois muitos deles podem ser prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Boas empresas de limpeza terceirizada fornecem materiais biodegradáveis de qualidade, adequados para cada tarefa, evitando qualquer dano ou desgaste de pisos e outras superfícies.

- Economia: contratar uma equipe experiente e bem treinada é muito mais econômico para o condomínio do que selecionar candidatos, treinar colaboradores e formar uma equipe interna. Além disso, em casos de faltas ou férias de funcionários, a empresa terceirizada substitui o colaborador e não é preciso contratar outra pessoa para não ficar com o quadro de funcionários incompleto.



Outras notícias